top of page
terapia-v3.jpg

TERAPIA LITERÁRIA

Encontros semanais e virtuais de discussão literária sobre narrativas curtas. 

O Terapia Literária é um encontro semanal virtual de discussão a respeito de uma narrativa curta, seja de autoria contemporânea ou clássica. Alguns textos estão em domínio público, outros publicados em sites literários e outros são cedidos por editoras. Quem conduz a conversa e faz a curadoria é Maria Paula Coelho, médica por profissão, restauradora de livros por hobby e bibliófila por paixão. Confira nesta página os textos já lidos. 

A iniciativa surgiu como desdobramento do Clube Tatuí de Leitura, que discute mensalmente obras literárias. Os encontros são gratuitos e abertos, pelo Zoom. Se tiver interesse em participar, inscreva-se no link abaixo.

PRÓXIMO ENCONTRO
capas-contos-verunschk_conto-duas-linhas.png

Para o encontro de terça, 5 de março, o conto discutido será "POSITIVO. NEGATIVO.", de Micheliny Verunschk, publicado no site do Pernambuco. O link para acesso do conto será enviado por e-mail.

ENCONTROS ANTERIORES
2024

Omnis definitio periculosa est, de Guilherme de Almeida, publicado revista literária Terra Roxa e Outras Terras número 3. (JAN)

O barrete de S. Cornelio, de Alberto Campos, presente no primeiro número d’A Revista, número 1. (JAN)

Um homem bondoso, de Carlos Alberto de Araujo, publicado revista literária Terra Roxa e Outras Terras número 1. (JAN)

Lua cheia, de Cidinha da Silva, presente no livro Um Exu em Nova York. Pallas Editora. (FEV)

Leviatã, de Cristhiano Aguiar, presente no livro A outra margem, o Leviatã. Lote 42. (FEV)

2023

Gameleira-branca, de Juliana Garbayo, publicado no jornal Cândido. (JAN)

I, de Whisner Fraga, publicado no site do autor. (JAN)

Setenta e cinco menos trinta, de Ana Elisa Ribeiro, publicado na Capitolina Books. (JAN)

À Deriva, de Horacio Quiroga, traduzido por Jádson Barros Neves. (FEV)

A porta do não retorno, de Natasha Omokhodion-Banda, publicado na revista Periferias. (FEV)

Bonjour, tristesse, de Ana Cássia Rebelo, publicado na revista piauí. (MAR)

Ronda Noturna, de Fernando Cândido, presente no livro Antes de agora. negalilu editora. (MAR)

Chaco, de Liliana Colanzi, presente revista Puñado 5Editora Incompleta. (MAR)

Amor profano, de Verginia Grando, presente no livro Amores ruins. Editora Arte&Letra. (ABR)

Picadeiro, de Paulo Rodrigues, presente no livro Beco das Terezas. Editora Corsário-Satã. (ABR)

Léocadie Timothée, de Maryse Condé, presente revista Puñado 7Editora Incompleta. (ABR)

Um Morto Consciente, de Thiago Barrozo, presente revista digital Ruído Manifesto. (MAI)

Copos Paradiso, de Daniélle Carazzai, publicado no jornal Cândido. (MAI)

Dia nublado, de Marcelo Lotufo, presente no livro cada um a seu modo. Edições Jabuticaba. (MAI)

Outra vida para dona Olímpia, de Hugo Almeida, presente no livro Certos casais. Laranja Original. (MAI)

O tempo treme, de Pedro Teixeira Neves, presente no site Mapas do Confinamento. (JUN)

O estágio mais rudimentar do fim, de Sabrinna Alento Mourão, presente no livro O estágio mais rudimentar do fim. Castanha Mecânica. (JUN)

Vera, Auguste de Villiers de L’Isle-Adam, presente no v. 2,  n. 1 da revista caleidoscópio: linguagem e tradução. (JUN)

A medalha, Marie-Thérèse Picard, presente no n.25 dos Cadernos de Literatura e Tradução: Especial Literatura da Guiana Francesa da USP. (JUN)

Madreselva, de Ángela Cuartas, presente no livro Madreselva, publicado pela Diadorim Editora. (JUL)

Fome, de Maíra Ferreira, presente na revista digital toró (AGO)

Vocês brilham no escuro, de Liliana Colanzi, presente no livro Vocês brilham no escuro, publicado pela Editora Mundaréu. (AGO)

O primeiro choro, de Hugo Augusto Souza Estanislau, presente na Coletânea de contos & crônicas do II Prêmio UFES de Literatura, publicado pela EDUFES (AGO)

Ternura e crack, de Paulliny Tort, presente no livro Erva brava, publicado pela editora Fósforo. (AGO)

Redes, de Francisco de Morais Mendes, presente no livro A razão selvagem, publicado pela editora Ciência do Acidente. (SET)

A loteria, Shirley Jackson, presente na Revista Nota do Tradutor n.9 vol. 2. (SET)

Sabor de remorso, de Ahmad Saadi, presente no livro Bagdá noir, publicado pela editora Tabla. (SET)

A célebre rã saltadora do Condado de Calaveras, de Mark Twain, presente na edição nº 10 da revista Ficção, de outubro de 1976. (OUT)

Por uma garrafa de rum, de Dainerys Machado Vento, presente no livro As noventa Havanas, publicado pela editora Arte & Letra. (OUT)

Quarar (ou quando me desprendo do mundo), de Gilberto Araújo Rosa, presente na Revista Magma, vol. 28 nº 17, publicada pelo Programa de Pós-Graduação em Teoria Literária e Literatura Comparada da USP. (OUT)

Tão perto quanto eu de você, de Helena Machado, presente no site do projeto Mapas do confinamento. (OUT)

A bandeja e o déjà-vu, de Raphael Luiz de Araújo, presente no site da editora  Aboio. (NOV)

A amante, de Filipe Batista, presente no livro Vista para o precipício, publicado pela Quelônio. (NOV)

A casa adágio, de Natasha Belfort Palmeira, presente na Revista Magma, vol. 27, nº 16, publicada pelo Programa de Pós-Graduação em Teoria Literária e Literatura Comparada da USP. (NOV)

Linha, de Laura Mazzo, presente na revista Harvi 2, publicado pela Selo Harvi. (DEZ)

Aqueles que abandonam omelas, de Ursula K. Le Guin, presente na página do projeto Cápsula no site da editora Morro Branco. (DEZ)

2022

Manjedoura, de Verena Cavalcante, publicado no blog da DarkSide. (JAN)

O menino da água, de Valter Hugo Mãe, em Contos de cães e maus lobos. Porto Editora. (JAN)

Abrupto, de Itamar Vieira Junior, publicado na quinta edição da revista gueto. (FEV)

Dinah Dinamite, de Zênite Astra. Revista Puñado 7. Editora Incompleta. (FEV)

Os urubus sem penas, de Julio Ramón Ribeyro. Editora Moinhos(FEV)

Lagartixa, bolha de sabão, de Julia Codo, publicado na revista Jezebel. Editora Colenda(MAR)

Aspirações , de Rodrigo Domit, publicado na revista gueto. (MAR)

da capo, de Luci Collin, publicado na primeira edição da revista gueto. (MAR)

Meu bicho, de Santiago Nazarian, publicado na Revista Morel. (ABR)

Os sem-boca, de Marcel Schwob, publicado na Revista Barril(ABR)

panóptico, o olho de deus, de Mariana Lozzi, publicado no volume cinco da Revista Garupa. (ABR)

Diógenes também, de Augusto Monterroso, em Obras Completas (e outros contos). Editora Mundaréu. (MAI)

Palhaça, de Raquel Abend van Dalen. Revista Puñado 7. Editora Incompleta. (MAI)

A última sessão, de Marcelino Freire. Revista Acrobata. (MAI)

Romã, de Leila Guenther, publicado pela revista Ruído Manifesto(MAI)

Alguma coisa urgentemente, de João Gilberto Noll. O cego e a dançarina. Editora Record. (JUN)

Os olhos dos pobres, de Julian Fuks. Os olhos dos pobres. Mariposa Cartonera(JUN)

A epidemia, de Aparecida Vilaça e Francisco Vilaça Gaspar. Revista Cult. (JUN)

See you soon!, de Anton Roos. Revista Escritor Brasileiro. (JUL)

Eugênia ou a filósofa apaixonada, de Ana Eurídice Eufrosina de Barandas. (JUL)

A igreja do Diabo, de Machado de Assis. (JUL)

O Pó, de Marcela Dantés. Sobre pessoas normais. Editora Patuá. (AGO)

O olho de deus , de Elena Alonso Frayle. Más intenções. Editora Colenda. (AGO)

A tentação da bicicleta, de Edmondo De Amicis. (AGO)

Os Porcos, de Julia Lopes de Almeida. (AGO)

Queridinha, de Anton Tchekhov. (SET)

O Nada, de Leonid Andreief (SET)

História do Khan e seu Filho, de Maximo Gorki (SET)

Um homem sem sorte, de Samanta Schweblin, presente no livro Pássaros na boca e Sete casas vazias: Contos reunidos (Fósforo) (OUT)

Tudo passa pelo nariz, de Simone AZ, presente no livro Beijo de língua no espelho (Editora Quelônio) (OUT)

Condução, de Nayara Noronha. Revista Lavoura. (OUT)

Dia dezenove, de Nara Vidal. Revista Cândido. (NOV)

O livro dos tradutores, de Paulo Abe. Ruído Manifesto(NOV)

Pola e o galinheiro, de Miriam Mermelstein. O pavão não abriu a cauda. Editora Confraria do vento (NOV)

Wakefield, de Nathaniel Hawthorne, tradução de Silveira de Souza. FreeBooks. (DEZ)

Pai contra mãe, de Machado de Assis. (DEZ)

2021

A última cabra, de Lucas Verzola, em A Última CabraEditora Reformatório. (JAN)

Felicidade, de Katherine Mansfield, com tradução de Julieta Cupertino. (JAN)

Diagnóstico indefinido, de Lidia Izecson, em Seridó e outras histórias. Editora Quelônio. (FEV)

Herbarium, de Lygia Fagundes Telles. (FEV)

Os filhos de Asher, de Isabor Quintiere. (FEV)

O corvo, de Edgar Allan Poe, tradução de Fernando Pessoa. (MAR)

Não aceite caramelos de estranhos, de Andrea Jeftanovic, com tradução de Luis Reyes Gil, em Não aceite caramelos de estranhosEditora Mundaréu. (MAR)    

Nome: Omen, de Luci Collin, em 48 contos paranaenses, com organização de Luiz Ruffato. Disponível no site da Biblioteca Pública  do Paraná(MAR) 

Irmão cervo, de Giovanna Rivero, em Terra fresca da sua tumba. Editora Incompleta. (MAR)

Bárbara, de Cezar Tridapalli. Jornal Relevo. (ABR)

A perfeição, de Eça de Queiroz. (ABR)

Amleto Ferreira, de João Ubaldo Ribeiro. (ABR)

Construção, de Mariana Travacio, com tradução de Bruno Ribeiro, em Cotidiano. Editora Moinhos. (MAI)

O espelho, de Machado de Assis. (MAI)

Ninguém nunca se acostuma, de Alejandra Costamagna, com tradução de Mariana Sanchez, em Impossível sair da TerraEditora Moinhos. (MAI)

A morte alada, de H. P. Lovecraft, com tradução de Paulo Soriano. (JUN)

Tributo, de Sergio Faraco. (JUN)

O guarda-freios, de Juan José Arreola, com tradução de Salim Miguel. (JUN)

Uma pequena nuvem, de James Joyce, com tradução de Vitor Alevato do Amaral, em Dublinenses. (JUN)

No inferno é sempre assim, de Daniela Langer, em No inferno e sempre assim. Editora Dublinense. (JUL)

O preso, de Lewis Nkosi, com tradução de Manuel de Seabra. (JUL)

O último cônsul em Trieste, de Jorge Sá Earp. (JUL) 

Passarinho, de Claudia Ulloa Donoso, com tradução de Laura del Rey. Revista Puñado nº 2Editora Incompleta. (AGO)

Luto, de Maria Fernanda Ampuero, em Rinha de GalosEditora Moinhos. (AGO)

Na terceira margem do agora, de Renata Santana. Castanha Mecânica. (AGO)

Dia bom, de Jorge Ialanji Filholini, em Somos Mais Limpos Pela ManhãSelo Demônio Negro. (AGO)

A gorda que caiu do céu, de Leusa Araujo, em Senão eu atiro e outras histórias verídicas. Editora Quelônio. (SET)

Anedota pecuniária, de Machado de Assis. (SET)

A galinha degolada, de Horacio Quiroga, com tradução de Juan Carlos Acosta. (SET)

Urubus, de Carla Bessa. Cândido, jornal da Biblioteca Pública do Paraná. (OUT) 

O homem da areia, de Ernst Theodor Amadeus Wilhelm Hoffmann, com tradução de Guilherme da Silva Braga. Arte & Letra. (OUT)

Os banquetes de Dona Helena, de Claudia Nina. Revista Helena nº 11 (NOV)

A água que embala o silêncio, de Rose Mary Salum. Revista Puñado nº5Editora Incompleta. (NOV)

Tempo da camisolinha, de Mário de Andrade. Disponível na Biblioteca Digital de Literatura de Países Lusófonos da Universidade Federal de Santa Catarina (NOV)

Menina de vermelho a caminho da lua, de Marina Colasanti. Disponível na Revista Prosa Verso e Arte(DEZ)

Nossos ossos, de Giovana Madalosso. Presente no livro Dias de domingo, da editora José Olympio. (DEZ)

Mineirinho, de Clarice Linspector. (DEZ)

2020

Ao pó, de Santiago Dabove. (MAI)

Colinas como Elefantes brancos, de Ernest Hemingway, com tradução de Samuel Titan Jr. (JUN)

O afogado mais bonito do mundo, de Gabriel García Marques. (JUN)

À sombra da Amendoeira, de Évelyne Trouillot. Revista Puñado nº5.  Editora Incompleta. (JUN)

Dentro da noite, de João do Rio. (JUN)

O violino de Rothschild, de Anton Tchekhov. (JUL)

Teoria do medalhão e O segredo do Bonzo, de Machado de Assis. (JUL)

Marília acorda, de Natalia Borges Polesso, em Amora. Editora Dublinense. (JUL)

Novela e coloquio que ocorreu entre Cipião e Berganza, de Cervantes, com tradução de  Silvia Massimini Felix. (AGO)

Casamento e todas as mulheres são iguais, de Natalia Timerman, em Rachaduras. Editora Quelônio. (AGO)

Chac Mool, de Carlos Fuentes. Bula Revista. (AGO)  

Um dia ideal para os peixes-banana, de J.D. Salinger. (SET)

A terceira margem do rio, de Guimarães Rosa. (SET)

Os pequeninos, de Monteiro Lobato. (SET)

Teresa, de Cristhiano Aguiar, em Na outra margem, o Leviatã. Lote 42. (SET)

O homem que sabia javanês, de Lima Barreto. (OUT)

Flor, telefone, moça, de Drummond. (OUT)

Os olhos dos mortos, de Mia Couto. (OUT)

Cachorras e soldadinhos, de Giovanna Rivero. Revista Puñado nº 3Editora Incompleta. (NOV)

O gato preto, de Edgar Allan Poe. (NOV)

O Polítipo, de Aluísio Azevedo. (NOV)

Casa de boneca, de Raimundo Neto, em Todo esse amor que inventamos para nósEditora Moinhos (DEZ)

O passageiro de primeira classe, de Anton Tchékhov. (DEZ)

A CURADORA

MARIA PAULA COELHO é médica por profissão, restauradora de livros por hobby e bibliófila por paixão. Cirurgiã pediátrica, trabalhou com transplantes de fígado durante a maior parte de sua carreira e, após um período trabalhando na Inglaterra, retornou ao Brasil, focando suas atividades médicas em crianças com Insuficiência Intestinal, coordenando atualmente o Programa de Reabilitação Intestinal do Hospital Infantil Sabará, em São Paulo. Está à frente do Clube Tatuí de Leitura e do Terapia Literária desde 2020, traz leituras variadas, provocações e boas descobertas.

maria-paula-2.jpg
bottom of page